Blog

Blog

O que vender no e-commerce Brasileiro ? – Atualize-se

Depois de muita expectativa, saiu o relatório Webshoppers, referente ao primeiro semestre de 2019. A partir dos dados coletados por ele, fica muito mais fácil saber quais as tendências do momento e, consequentemente, o que vender online. O relatório trouxe números muito promissores a respeito do Mercado Digital.

O Webshoppers é o estudo com maior credibilidade sobre o comércio eletrônico brasileiro e a principal referência para os profissionais do segmento.

Crescendo dois dígitos pelo terceiro ano consecutivo

Não é surpresa que o Ecommerce está em crescimento. Os dados do Webshoppers mostram que o Digital Commerce brasileiro cresceu 18% em 2018. Foi o terceiro ano consecutivo em que a categoria alcançou dois dígitos no seu crescimento.


Outro dado interessante é o fato do Brasil ser o país com  maior faturamento da América Latina. Vender online nunca foi uma prática tão comum antes!

Como você pode ver, o faturamento em 2018 foi de incríveis 133 bilhões de reais. Os maiores responsáveis por esse número são o segmento de Lazer e as receitas vindas de Marketplaces.

Isso mostra como o brasileiro vem perdendo cada vez mais o medo de comprar online.


Ecommerce cresce 12% pelo segundo semestre consecutivo h2

Se 2018 fechou bem para o comércio eletrônico, os primeiros 6 meses de 2019  também não decepcionaram. Pelo segundo semestre consecutivo, o Ecommerce brasileiro alcançou um crescimento de 12%

Foram 26,4 bilhões de reais vendidos nesse período este ano, contra 23,6 bilhões no mesmo período do ano passado.

O volume de pedidos conseguiu um crescimento ainda maior. Os 54,4 milhões referentes ao primeiro semestre do ano passado se transformaram em incríveis 65,2 milhões, nos primeiros 6 meses de 2019.

De todas as pessoas que compraram online no primeiro semestre deste ano, 5,3 milhões delas fizeram isso pela primeira vez na vida. Isso equivale a 18,1% do total de consumidores do período.

Isso mostra como o Ecommerce ainda tem muito potencial de crescimento, pois a todo momento novos clientes realizam uma compra na internet pela primeira vez. Portanto, vender online tem tudo para continuar dando dinheiro!

Em termos regionais, Norte e Sul impressionaram com os maiores crescimentos. Enquanto a primeira cresceu incríveis 36%, a segunda chegou perto, alcançou um índice de 29%

Apesar desse crescimento, quase todo o faturamento ainda está concentrado a região Sudeste, que, por sua vez, cresceu 9% em relação ao primeiro semestre de 2018.

Nunca se comprou tanto pelo celular

Outro dado que o Webshoppers mostrou é que o crescimento das compras através dos celulares hoje já significam quase metade dos pedidos feitos online.

Isso é assustador, se pensarmos que em 2011, as compras através dos celulares equivaliam a 0,1% do total de pedidos feitos pela internet.
O faturamento alcançado pelas vendas realizadas por aparelhos celulares, no primeiro semestre de 2019, foi de 9,6 bilhões de reais.

O brasileiro gosta de comprar por indicação

Quando vai à procura de algum produto online, a primeira opção do brasileiro são os sites de busca. Depois, as redes sociais aparecem como o segundo motivador de compra.

Isso mostra como as pessoas se sentem confiantes quando compram algum produto que foi recomendado por outra pessoa.  Vender online por meio de indicação é muito mais fácil!

80% dos consumidores que adquiriram algum produto através da indicação ficaram satisfeitos em relação ao preço. Eles são também os que mais elogiam a experiência de compra.

O que mais vende online

Os dados do Webshoppers apontam que as categorias com a maior importância em números de pedidos no primeiro semestre de 2019 foram Moda e Acessórios ePerfumaria, Cosméticos e Saúde.

Essas duas categorias, somadas, equivalem a 36% de todos os pedidos feitos na internet no período analisado.

O número de pedidos do segmento de Moda subiu 48% em relação ao primeiro semestre de 2018, enquanto que o de Perfumaria cresceu 40%.

Contudo, o maior crescimento em número de pedidos foi do segmento de Petshop. Essa categoria alcançou um crescimento assustador de 144%.

Com isso, os pedidos de Petshop já representam 2% do total de pedidos feitos online.

Logo atrás dos pedidos de Petshop, veio a categoria de Alimentos e Bebidas. Comparada ao mesmo período do ano passado, ela cresceu em 82% o número de pedidos.

Se pegarmos os dados do segundo semestre de 2018 para efeito de comparação, podemos ver que Moda teve um aumento significativo, a ponto de retomar a liderança em importância.

Outro dado interessante é que os consumidores de bens não-duráveis costumam fazer mais do que 3 compras nos últimos 6 meses. Isso concede a eles o título de “heavy users”.

Isso significa que eles estão constantemente comprando esses produtos online, o que gera fluxo de caixa para os sites de Ecommerce.

E, como sabemos, fluxo de caixa é fundamental para o sucesso de negócios de venda online.

Como podemos ver nos gráficos anteriores, em 2019 o que mais cresceu dentro do Ecommerce brasileiro foram os pedidos por bens não-duráveis.

Portanto, se você trabalha com esse tipo de produtos, pode esperar por resultados ainda melhores nos próximos meses.

Isso não quer dizer, no entanto, que quem trabalha com bens duráveis ganhou menos dinheiro.

Mesmo com um número de pedidos menor, esses produtos ainda rendem lucro, principalmente por terem um ticket médio superior.

Porém, quem trabalha com bens não-duráveis teve uma demanda maior por pedidos em 2019, se comparado ao primeiro semestre do ano passado.

Preço de frete e formas de pagamento influenciam muito na decisão de compra

Por fim, o Webshoppers mostrou que o brasileiro não se importa tanto assim com o prazo de entrega, desde que pague um valor reduzido na compra.

60% dos consumidores preferem pagar um frete mais barato, mesmo que isso signifique esperar mais pelo produto. 47% não aceitariam pagar mais do que o valor do produto só para recebê-lo mais cedo do que o esperado.

Na questão das formas de pagamento, 67% do total de pedidos foi pago através de cartão de crédito.

No primeiro semestre de 2017, mais da metade dos consumidores pagavam suas compras através da opção de parcelamento. Isso mudou em 2018 e, em 2019, o número de pagamentos à vista continuou crescendo.

Entenda o mercado e alcance resultados incríveis!

Como você pôde ver pelos dados do Webshoppers, o Ecommerce continua crescendo em ritmo acelerado, portanto deve ser pauta nas definições de estratégias para o seu negócio.

O que confirmamos no primeiro semestre de 2019:

  • Nunca se comprou tanto pelo celular
  • Bens não-duráveis tiveram um aumento no número de vendas espetacular
  • Moda retomou a liderança em importância em números de pedidos
  • Perfumaria, Cosméticos e Saúde continuou líder e como uma das principais categorias em importância em número de pedidos
  • O brasileiro tem aversão a pagar frete pelos produtos

Agora que você teve acesso aos principais dados do mercado de Ecommerce no Brasil, é hora de traçar suas estratégias para aproveitar as oportunidades.

E-commerce Brasileiro – Aumenta o Faturamento no Segundo Semestre de 2019

Atualize-se sobre o e-commerce no Brasil

O e-commerce brasileiro deve alcançar a marca de 96,2 milhões de pedidos no segundo semestre de 2019, 18% a mais do que no mesmo período do ano passado. As informações são da nova edição do relatório NeoTrust, feito em parceria entre a Compre&Confie e o E-commerce Brasil.

O estudo também aponta que o segmento deve atingir um faturamento de aproximadamente 39 bilhões de reais na segunda metade do ano, um aumento de 14% em relação ao segundo semestre de 2018.

No entanto, o tíquete médio das compras no segundo semestre deve cair em relação ao último ano, indo de 418 reais para 406 reais – uma queda de 3%.

Black Friday e mobile

De acordo com o diretor executivo do Compre&Confie, André Dias, a Black Friday, que acontece no final de novembro, e o crescimento das compras no mobile devem contribuir para os bons números no segundo semestre.

“O otimismo do consumidor e a possibilidade de economizar na Black Friday, somados ao crescente volume de compras via dispositivos móveis, certamente irão contribuir para o crescimento do varejo online na segunda metade do ano.”, afirma.

Tendências do e-commerce em 2019

Com o final do ano chegando, as tendências do e-commerce em 2019 já estão bem claras, e quem quiser se manter na dianteira no varejo eletrônico, precisa já ir pensando em algumas adaptações para enfrentar o ano que se aproxima.

O mundo digital está em uma eterna evolução e no e-commerce não é diferente. Novas tecnologias, e mudanças de hábitos e costumes trazem novas variáveis à complexa equação que é o comércio eletrônico hoje em dia.

Fizemos uma pesquisa sobre as principais tendências do comércio eletrônico em 2019 para ajudar nossos leitores a traçarem suas estratégias para o próximo ano.

Principais tendências do comércio eletrônico em 2019

Confira abaixo algumas das principais tendências do e-commerce em 2019 e prepare-se para as mudanças que certamente irão mudar uma boa parte do cenário das compras online.

1 – Um número maior de empresas buscará o e-commerce

Com a provável recuperação econômica que se desenha para 2019, é natural que um número cada vez maior de empresas busque por uma presença de vendas online, já que esta é uma das melhores alternativas no momento para quem deseja expandir suas vendas.

Mesmo durante os anos de crise pelos quais passamos nos últimos tempos, o comércio eletrônico brasileiro apresentou taxas de crescimento invejáveis. No primeiro semestre de 2018, segundo dados da consultoria E-bit foi de 12%.

Por isso, acreditamos que uma das principais tendências do e-commerce brasileiro em 2019, confirmadas as previsões otimistas para o crescimento da economia brasileira, é de que cada vez mais empresas busquem esta alternativa de vendas.

2 – Novos empreendedores focados no e-commerce de nicho

O e-commerce de nicho sempre foi uma das principais opções para quem deseja ingressar no comércio eletrônico sem sofrer a concorrência dos gigantes do mercado e com isso aumentar as suas chances de sucesso.

O lojas de roupas especializadas no segmento plus size.

Uma das tendências do e-commerce em 2019 no Brasil é justamente um número maior de empreendedores ingressando no varejo eletrônico através de lojas virtuais de nicho para tirar proveito das vantagens da segmentação no e-commerce.

 3 – Marketing digital no e-commerce

Já a algum tempo dizemos que tão importante quanto a escolha correta da plataforma de e-commerce, a adoção de uma estratégia de marketing digital para e-commerce adequada também é fundamental para o sucesso de uma loja virtual.

Uma das grandes tendências do e-commerce em 2019 será uma preocupação ainda maior com a divulgação das lojas virtuais, com a adoção de técnicas cada vez mais sofisticadas, principalmente envolvendo a integração dos diversos canais.

Não há mais espaço para amadorismo e improvisação no marketing digital hoje em dia, e os gestores de e-commerce percebem que de nada adianta ter uma plataforma de e-commerce de ponta, se não contarem com um marketing eficiente.

Tendências do comércio eletrônico em 2019

4 – SEO no e-commerce enfrentando novos desafios

Uma das principais fontes de tráfego qualificado para uma loja virtual é sem sobra de dúvida os resultados orgânicos de pesquisas feitas nos grandes buscadores, como o Google e Bing, e para ocupar uma posição de destaque nestas páginas é preciso lançar mão de técnicas de SEO, otimização de sites para ferramentas de busca.

O SEO vem passando por um momento de grandes alterações, se modificando rapidamente na tentativa de acompanhar as evoluções tecnológicas e os novos hábitos e costumes dos compradores online nos dias de hoje.

Por isso acreditamos que uma das fortes tendências do comércio eletrônico em 2019 seja uma revisão profunda das técnicas de SEO aplicadas ao e-commerce, para a adequação a este novo cenário que vem se desenhando.

Uma destas mudanças que já estamos sentindo no exterior é o aumento das compras que têm como origem a busca por voz feitas em assistentes pessoais como o Alexa e Google Home. Embora ainda embrionária no Brasil, essa é uma tendência crescente e o SEO de uma loja virtual precisa estar preparado para esta mudança.

5 – Aumento das compras feitas através de buscas por voz

Como dito anteriormente, as compras feitas através de buscas por voz cresce em todo o mundo. Segundo informações da consultoria OC&C Strategy Consultants estima que até 2022 este tipo de compra deva atingir a marca de US $ 40 bilhões.

Essa é uma das principais tendências do e-commerce em 2019 no exterior para os próximos anos. A Amazon, por exemplo já estima que em 2020 as compras feitas através destes dispositivos vá significar algo em torno de US $ 10 a 11 bilhões.

Por enquanto, estes aparelhos ainda não são muito populares por aqui em função da barreira da língua, pois em virtude da complexidade da língua portuguesa, tais aparelhos ainda não “falam português”, mas isso parece estar com seus dias contados.

Quando a língua portuguesa estiver acessível nestes dispositivos, vamos observar uma verdadeira explosão de vendas por aqui, o que vai afetar diretamente o marketing digital e o e-commerce brasileiro de maneira muito rápida.

6 – Redes sociais cada vez mais integradas ao e-commerce

Outra das tendências do e-commerce em 2019 no Brasil que nos parece cada vez mais forte é a da integração total das redes sociais às lojas virtuais, transformando estas redes em uma extensão da venda direta da loja.

Setores como o e-commerce de moda, acessórios, decoração e outros de forte apelo visual, encontram nas redes sociais como Facebook e Instagram, fortes aliados de venda, mas a falta de integração por vezes prejudica a conversão destes canais.

Algumas plataformas de e-commerce já oferecem alguns recursos de integração da loja aos canais de mídias sociais, mas infelizmente, muitas delas ainda criam alguns obstáculos em termos de checkout, o que acaba prejudicando a evolução do social commerce no Brasil.

A divulgação de uma loja virtual no Instagram, por exemplo, é uma alternativa bastante eficiente, mas o problema está na hora do fechamento da venda. Por isso, plataformas mais integradas ajudariam bastante na taxa de conversão de ações de marketing neste canal.

Por isso, se você está escolhendo a sua plataforma de e-commerce agora, preste atenção a este detalhe que pode ajudar em muito na hora de vender pelas redes sociais. É o típico caso de que a antecipação evita um problema futuro.

Tendências do e-commerce para 2019

7 – Uso cada vez maior de chatbots no e-commerce

Outra das tendências do comércio eletrônico em 2019 que vem ganhando muita força é o uso cada vez maior de chatbots no atendimento em uma loja online.

A evolução da tecnologia de machine learning os chatbots vem ganhando cada vez mais espaço no e-commerce como forma de proporcionar um atendimento rápido e eficiente.

Além disso, o uso de chatbots também reduz custos, um objetivo que a maior parte dos gestores de e-commerce têm sempre em mente em seu dia a dia.

8 – Realidade Virtual e Realidade Aumentada

Entre as tendências do e-commerce em 2019 que julgamos ser a mais urgente em termos de adaptação de lojas virtuais estão a Realidade Aumentada e a Realidade Virtual, duas vertentes da tecnologia que estão agitando as lojas virtuais no exterior.

Para os varejistas online, estas tecnologias estão criando novas maneiras para os clientes avaliarem produtos fora de uma loja física, melhorando assim a experiência de compra online. Essa experiência tem feito com que a taxa de conversão das lojas que já a adotam tenha subido muito.

Qual é a diferença entre realidade aumentada e virtual? A realidade aumentada refere-se à tecnologia que sobrepõe uma imagem gerada por computador à visão de mundo do usuário, criando uma visão composta. Já a realidade virtual é uma simulação gerada por computador de uma imagem ou ambiente 3D.

O uso destas tecnologias vem atraindo cada vez mais a atenção dos grandes players do e-commerce, e em breve, estará disponível também para as pequenas operações. É um item a ser colocado em seu radar.